Isolados em abrigos, idosos se ocupam com reza, meditação, alongamento e até dança online

0
51

Maria Aparecida de Barros, de 69 anos, é uma das idosas que foi afetada pela quarentena, estabelecida em todo o estado como forma de prevenção ao coronavírus. Parte do grupo de risco da Covid-19, a moradora da Vila dos Velhinhos, em Sorocaba (SP), recorreu à fé, mantendo uma rotina de rezas, com o isolamento social.

A enfermeira aposentada relatou ao G1 que todos os dias ela e um grupo do lar se reúne às 15h e rezam o terço assistindo uma missa.

“Quando não tem oração nós estamos caminhando aqui dentro do lar mesmo e cantamos um pouco”, contou Maria, lembrando que as visitas dos familiares passaram a ser feitas por chamadas de vídeo.

“É para o nosso próprio bem. Entendo perfeitamente o que está acontecendo”, declarou a idosa.

Sem poderem receber visitas ou até mesmo sair, os lares de idosos precisaram se adaptar com a nova realidade para manter os mais velhos longe de qualquer possível foco de transmissão. Na Vila, por exemplo, o passatempo dos 96 acolhidos tem sido, além de ver televisão e se inteirar com as notícias, rezar e orar.

O Clube do Idoso, responsável por organizar atividades para a terceira idade, também precisou fechar temporariamente as portas. Mas, mesmo sem o espaço físico para realizar as ações, o clube não parou com os planos. Uma das professoras organizou para os alunos aulas de meditação, alongamento e dança, todas por videochamada.